, ,

UFPE 2013: Provas e Gabaritos

Universidade Federal de Pernambuco

Provas realizadas nos dias 13 e 14 de janeiro de 2013

 

Arquivos Tamanho Tipo Hits
Gabaritos - 2º dia (retificado) 84.72 kB pdf 5208
Gabaritos - 1º dia 78.21 kB pdf 6402
Geometria Gráfica 757.75 kB pdf 3130
Francês 239.99 kB pdf 1025
Inglês 190.03 kB pdf 2719
Espanhol 509.5 kB pdf 2330
História 149.96 kB pdf 4967
Geografia 691.81 kB pdf 9123
História 149.96 kB pdf 4189
Química 524.35 kB pdf 10135
Física 373.78 kB pdf 11252
Biologia 492.23 kB pdf 9594
Literatura 253.09 kB pdf 4161
Matemática 374.11 kB pdf 11561
Português 1 246.9 kB pdf 11955
Português 2 249.42 kB pdf 7587

 

Clique aqui para simular suas notas
Clique aqui ouvir os comentários dos nossos professores
39 respostas
« Older Comments
  1. Matheus
    Matheus says:

    Por favor como funciona esse item do manual do candidato?
    8.2.1 D não estiver relacionado no contingente dos candidatos que terão suas provas de Português
    1 corrigidas, de acordo com as condições especificadas neste Manual.
    Isso veio na minha nota, quer dizer oque?

    Responder
    • Colegio GGE
      Colegio GGE says:

      Bom dia Matheus,

      Siginifica que a sua prova não foi incluída dentro da MEI, que é a média de provas que são corrigidas, de acordo com o ítem abaixo do manual:

      Todos os candidatos não eliminados na primeira etapa terão suas questões objetivas corrigidas eletronicamente, com atribuição de notas na escala de 0 (zero) a 10 (dez) pontos para as matérias específicas objeto de avaliação na segunda etapa.
      Definidas as notas por provas aplicadas na segunda etapa, será calculada a Média Específica Individual (MEI), que consistirá da média aritmética das notas obtidas pelo candidato nas matérias examinadas por provas objetivas na segunda etapa.
      O cálculo da MEI terá por finalidade estabelecer uma relação nominal para fins de identificação / codificação dos “Cadernos de Respostas às Questões Discursivas” que serão efetivamente corrigidos, e servir de referência quantitativa para a eliminação de candidatos na segunda etapa, exceto para os candidatos inscritos no Grupo 09.
      Os candidatos serão relacionados por Curso/Unidade Acadêmica, em ordem decrescente de valor da MEI, no limite dos quantitativos especificados no quadro a seguir:

      NÚMERO DE CANDIDATOS POR CURSO E UNIDADE ACADÊMICA/VAGA (*) PROVAS CORRIGIDAS
      – Menos de 3 (três) candidatos/vaga Duas vezes o número de vagas/curso
      – 03 (três) a 06 (seis) candidatos/vaga Três vezes o número de vagas/curso
      – Mais de 6 (seis) e menos de 12 (doze) candidatos/vaga Quatro vezes o número de vagas/curso
      – Mais de 12 (doze) candidatos/vagas Cinco vezes o número de vagas/curso

      Em caso de empate na última colocação, todos os candidatos em tal situação terão as questões discursivas da prova de Português 1 corrigidas.
      (*) Todos os candidatos com preferência para o curso do Grupo 09 terão as questões discursivas corrigidas, independente da razão candidato/vaga.

      Responder
  2. Colegio GGE
    Colegio GGE says:

    Bom dia Amanda,

    Segundo o manual do vestibular da UFPE:

    Confirmação da participação na terceira etapa
    Os candidatos, quando convocados para a matrícula nas disciplinas de formação pré-
    acadêmicas, deverão apresentar o original e entregar a cópia, legível e autenticada, dos
    seguintes documentos:
    – Certificado de Conclusão do Ensino Médio ou equivalente
    – Histórico Escolar do Ensino Médio ou equivalente
    Os documentos deverão ser entregues na sede da COVEST/COPSET, conforme cronograma
    que será divulgado pelo endereço eletrônico http://www.covest.com.br, dois dias após a divulgação do
    resultado final do Vestibular UFPE 2013.
    O candidato que faltar à convocação para entrega dos documentos requeridos ou não
    comprovar a conclusão do Ensino Médio será eliminado e, em seu lugar, outro candidato será
    convocado, obedecida à ordem decrescente de candidatos classificáveis.

    Atenciosamente

    GGE

    Responder
  3. Diógenes Wallis
    Diógenes Wallis says:

    Se meu nome apareceu na tal lista (lista de convocação para comprovar a documentação) de cotistas, se presume que escapei do ponto de corte. Porém, fiz o vestibular por experiência… Será que vão corrigir as discursivas?

    Responder
    • Colegio GGE
      Colegio GGE says:

      Bom dia Diógenes,

      Segundo o manual do candidato da UFPE:

      Correção das Questões Discursivas

      Para os candidatos presentes, não excluídos e não eliminados haverá limitações, por
      Curso/Unidade Acadêmica, do número de provas de Português 1 cujas questões discursivas
      serão avaliadas, conforme quantitativo constante no item 8.2. Todos os candidatos com
      preferência pelo curso do Grupo 09 terão suas questões discursivas corrigidas.
      Quando da divulgação do resultado da primeira classificação do Vestibular UFPE 2013, serão
      divulgadas a nota das questões discursivas e a MEI para cada Curso/Unidade Acadêmica. Nessa
      oportunidade, será disponibilizado o menor valor da MEI correspondente à última posição na
      relação nominal dos candidatos que tiveram suas questões discursivas corrigidas.
      O candidato que não tiver a suas questões discursivas corrigidas terá acesso ao valor da MEI
      no site http://www.covest.com.br.

      Atenciosamente

      GGE

      Responder
  4. carlos sergio
    carlos sergio says:

    Na questão 6 do mesmo jeito que não podemos aplicar imposto sobre imposto ou seja 4.000,00(valor convertido)*1,60(imposto de importação)*1,0638(IOF) = 6808,32 soma dos dígitos 27 resposta inicial da COVEST,
    também não podemos aplicar estas alíquotas sobre o custo de envio que está embutido em 1.250,00 ou seja não sabemos o valor do envio portanto não sabemos o valor só do produto para aplicar o imposto.
    QUESTÃO SEM RESPOSTA POSSÍVEL..

    Responder
  5. carlos sergio
    carlos sergio says:

    a questão 6 de matemática esta duplamente errada, primeiro o conceito de imposto não faz parte do programa de matemática, segundo as taxas dos impostos devem sere aplicadas sobre o valor do produto tirando o custo do envio ou seja 1250,00 menos o valor do frete, como não sabemos o custo do envio também não sabemos o valor do produto no qual devemos incidir a alíquota do imposto, portanto a questão não tem resposta e deve ser anulada.

    Responder
  6. Nivaldo Costa
    Nivaldo Costa says:

    Não entendi por que os professores dos maiores colégios do Recife deixaram passar o erro da questão n° 6 de Matemática – UFPE 2013.
    No cálculo pede-se para converter o valor de libras em dólares (x 1,6), em seguida, este valor é convertido em reais (x 2). Depois devem ser aplicados os dois impostos: o de importação e o IOF: 60% + 6,38 = 66,38%. Na resolução, a COVEST esqueceu-se de computar o imposto de 60%. Creio que eles se equivocaram, pois quando multiplicaram por 1,6 foi para converter em dólares, então pensaram que este 1,6 se referia aos 60%, quando na verdade deveria multiplicar: 1250 x 1,6 x 2 x 1,6638 (ou seja, 60% + 6,38%) = 6655,20, o que dá como resultado 24. Entrei com recurso hoje (15.01.2013) na COVEST.

    Responder
    • Colegio GGE
      Colegio GGE says:

      Nivaldo, segundo o nosso professor Gustavo Duarte, “A interpretação da questão foi a mesma da Covest, o IOF é calculado no final após o calculo total a ser pago, concordo tb que o enunciado poderia ter explicado isso melhor, o pensamento do aluno não é nenhum absurdo”.

      Responder
      • Nivaldo Costa
        Nivaldo Costa says:

        Prezados, não me refiro à aplicação do IOF antes ou depois. O ponto central da discussão da questão 6 de Matemática é que a COVEST, na solução, não computou os 60% de imposto de importação, ou seja, multiplicou o valor por 1,6 (conversão de libras esterlinas para dólares); multiplicou por 2 (conversãode dólares para reais); e multiplicou por 1,0638 (referente ao IOF). No entanto, não aplicou sobre o valor a cobrança de 60% do imposto de importação.

      • Colegio GGE
        Colegio GGE says:

        Fica aqui seu registro. O professor admite que o enunciado poderia ser mais claro, o que abre espaço para recurso.

      • Nivaldo Costa
        Nivaldo Costa says:

        Agradeço a atenção dispensada. Infelizmente, os professores etão procurando o caminho mais fácil. O problema não é de interpretação, é de cálculo errado feito pela COVEST.

  7. Felipe de Souza Araujo
    Felipe de Souza Araujo says:

    Há contestações em matemática ou física?

    Sobre Física:
    05º) Não entendi nada sobre a explicação. Para mim, Ec0 = 10 e Ep0 = 0. EpMax -> EcMin -> Ec = 0 -> Ep = 10J. Pensamento incorreto?

    07º) A variação da quantidade de movimento não é a área do gráfico. A área do gráfico é integral ( I dt) -> m*integral ( integral ( a dt ) dt) -> considerando movimentos com aceleração constante -> m*(at²/2 + C1t + C2). Logo, a área do gráfico é semelhante à equação horária de um movimento uniformemente variado multiplicada pela massa, e possui como unidade kg*m.
    O único modo plausível para a questão seria considerar I(15) = p15 – p0, visto que I = p – p0, que resulta em 18.

    Sobre matemática:
    Podem citar alguma referência científica comprovando que zero não é positivo?

    Responder
  8. André Figueirôa
    André Figueirôa says:

    Acredito que o gabarito fornecido na questão 5 e na questão 7 estejam incorretos.
    Questão 5)
    Se na altura 0 a Ec = 10 J (ou seja , a energia mecânica total do sistema é igual a 10 joules , pois estamos adotando um referencial onde a energia potencial seja nula) ; e para a Energia Potencial Gravitacional Máxima , temos de adotar a altura máxima do movimento ( não apenas a altura delimitada pelo gráfico , até porque a questão não pede para levar o gráfico em consideração , o único dado útil nele era que Ec = 10j , quando h=0).
    Portanto Ec(inicial) + Epg(inicial) = Ec(final) + Epg(final) , pois o atrito é desprezível. Como Epg(inicial) = 0 e Ec(final) = 0 , temos Ec(inicial) = Epg(final) = 10j

    Questão 7)
    Sabemos que a variação de quantidade de movimento é igual ao impulso , I = ΔQ.
    Portanto não faz sentido dizer que a área do gráfico é igual ao impulso , uma vez que o gráfico é I x t.
    Até mesmo por análise dimensional temos: [Q] = (kg x m)/s e [ I x t ] = (kg x m) , portanto , incoerência de unidade.

    Responder
    • André Figueirôa
      André Figueirôa says:

      Só complementando , se dividirmos o gráfico I x t da questão 7 em duas funções :
      entre t=0 ~ t=5s e entre t=5s ~ t=15s
      Entre ( 0 , 5 ): temos I = 4t
      Entre ( 5 , 15 ) : temos I = -4t + 20

      E temos que F = dI/dt,
      Entre ( 0 , 5 ): temos F = 4
      Entre ( 5 , 15): temos F = -4
      No final o I(resultante) seria numericamente igual ao novo gráfico ( f x t )
      Ir = 4×5 -4×10 = 20 – 40 = -20
      e Ir = ΔQ
      -20 = Qf – m x vi
      -20 = Qf – 0,2 x 10
      Qf = -20 + 2 = -18 , Um valor negativo só diz que o vetor foi no sentido oposto do sentido que escolhemos como referencial… Mas como de qualquer forma ele pedia o módulo de Qf:
      l Qf l = l -18 l = 18

      Responder
« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *